quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

O SONHO: Ser Escritor

 A arte de escrever é reescrever!


Muitas pessoas acalentam o sonho de ser escritor. Uma ideia bacana surgiu na sua mente e você quer colocá-la no papel, mas não sabe nem por onde começar. Não se preocupe todos passam por isso quando decidem por em prática esse sonho. Você não está sozinho nessa jornada.

Antes, porém, de ir direto ao assunto quero compartilhar uma frase que ouvi e fez com que eu refletisse essa minha jornada de escritora: “não há curso que o tornará escritor, não se iluda!”. Não me lembro a autoria. Bom, duas proposições podemos retirar da oração. A primeira delas é o fato de que não basta ter uma boa história é necessário saber contá-la e o segundo ponto é até onde a sua força de vontade te levará.

É verdade, pois a carreira de escritor dependerá muito da sua vontade. Muitos desistem antes de começar, ou se já iniciaram a escrita da história, desistem antes de terminar. Vamos ver porque: o processo de escrita é um percurso solitário, no silêncio do seu quarto, e tudo começa com uma folha em branco. Parece um tanto depressivo, não é? Você estará lutando contra a preguiça, contra a distração das redes sociais e tudo o que possa tirar o foco da sua história. Até aqui, não há maiores problemas porque somos disciplinados e nada e nem ninguém conseguem nos afastar do computados.


E, então, consegue finalizar, escrever o “Fim” na última página. Outro percurso se inicia tão árduo quanto o primeiro: procurar uma editora que se interesse em publicar o seu livro. Essa é a parte difícil do sonho, conseguir abrir um espaço seu na literatura nacional. Acontece sim, mas a passos de tartaruga e leva anos.

Fato é que a literatura nacional, bem como o escritor brasileiro, não possui incentivos para por em pratica o seu trabalho. Onde ainda cultuamos a cultura da pirataria.  Bom, mais isso é matéria para outro artigo.

Mas, vamos ao que interessa! Você teve uma ideia bacana ou até um sonho com enredo, personagens e você quer colocar no papel. Antes de iniciar a escrita da ideia propriamente dita você deve definir algumas metas:

1 — Defina o seu público alvo. Definir para quem você irá escrever facilitará e muito a forma como conduzirá sua escrita. Por exemplo, para um público infantil você usará a linguagem mais informal possível, sem rebuscamento.

2 — Criação de personagens que farão parte da sua história. Crie personagens muito semelhantes a nós, o quanto mais próximo à personagem for da realidade, mais o leitor se identificará com ele ou com um ponto da história.

3 — Pesquisa. Pesquise e pesquise muito. Principalmente se sua ideia é para um romance histórico. Pesquise os lugares onde a história passará, pesquise tudo que você irá precisar para desenvolver o enredo. A pesquisa fundamentará a história, você terá base para escrever, poderá dar detalhes não deixando a descrição vaga demais para o leitor perceber que houve desleixo.

4 — Defina quem será o narrador. Sua história será narrada em primeira ou terceira pessoa? Na hora da escrita preste muita atenção no ponto de vista do narrador e no ponto de observação. Os filmes nós dão uma boa base do foco narrativo.

5 — Com base nisso, faça um resumo ou roteiro da sua história para que você não perca a direção dela e acabe tendo que jogar o material fora. Fazendo um roteiro você também terá controle sobre os personagens e assim, não permitirá que um personagem coadjuvante tome o lugar do principal.

6 — Seja um leitor voraz, um bookholic, leia sobre o que você gosta de escrever, mas também, não deixe de ler os outros. Enfim, leia de tudo. A leitura fará você melhorar seu vocabulário e apreender como os outros autores escrevem. Estudar nunca é demais.

Agora você está pronto para começar seu processo de escrita propriamente dito. Lembre-se: são 90% de trabalho árduo e 10% de inspiração. Para finalizar gostaria de deixar três conselhos dados por André Vianco: o primeiro é a Paixão, o segundo é a Paciência, o terceiro é a Persistência. NUNCA DESISTIR DO SEU SONHO e mantenha esses três pilares como a sustentação da sua trajetória solitária durante todo o processo. E se esse for realmente o seu sonho “ser escritor”, profissionalize-se!

Mãos à obra!




 Por GLAU TAMBRA