sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Da Série: Lendas e Histórias Celtas - OS DRUIDAS


Com o segundo post da série iniciamos o assunto com os druidas. Gostaria de abordar os principais aspectos dessas figuras lendárias que muito cativa o imaginário das pessoas. Ao final do post disponibilizarei alguns links para quem quiser se aprofundar nesse vasto campo místico.

Então? Vamos embarcar nessa história?

Os druidas possuíam grandes conhecimentos das diversas ciências que envolvem o conhecimento humano como astronomia, medicina, dentre outras. Embora as lendas digam que também possuem um vasto conhecimento da ciência dos cristais e das energias telúricas.

Uma questão relevante é a figura da mulher. A sociedade celta é por excelência, matriarcal. Isso mesmo meninas! As mulheres celtas possuíam mais direitos que nós atualmente. Podiam ser guerreiras e participarem do campo de batalha, podiam solicitar o divórcio quando bem entendessem. A sociedade era bem avançadinha para a época hein! Porque aqui no Brasil a Lei do Divórcio só existiu a partir de 1977.  A mulher também conquistou o direito de ser druida e com um papel preponderante, pois era vista como a própria figura da deusa.


No contexto religioso, os druidas tornaram-se sacerdotes e sacerdotisas. Cultuavam a perspectiva feminina da divindade denominada Deusa-mãe; embora admitissem que todos os deuses e deusas que veneravam eram aspectos de um só Ser Divino e Supremo. Apesar de mencionarem outros deuses ligados a ela; enfatizavam ainda o mar e o céu. Nota-se que a sociedade era politeísta. Os festivais célticos eram divididos em quatro períodos de três meses. Conhecidos como Imbolc, Beltane, Lughnasadh e Samhain, este último conhecido atualmente por Hallowen.

Galera, amo ganhar bombons e não precisa ser só no hallowen, podem me mandar fora do festival que aceito numa boa. (risos).

O ponto importante da cultura druídica é que acreditavam na imortalidade da alma. O homem era livre para fazer o que quisesse, embora fosse responsável pelos seus atos. Um ensinamento oral que passavam aos iniciados era que toda ação é livre, mas haveria uma consequência, fosse ela boa ou ruim, sendo que cada um é responsável por essa consequência. No meu entendimento é aqui através do livre-arbítrio que vemos a justiça divina.

Não pensem que só haviam druidas-sacerdotes na sociedade celta. Encontram-se druidas: juízes, médicos ou magos, porque possuíam habilidades de cura por meio de ervas medicinais e os bardos. E quem de nós não gostaria de ter um poeta em casa?

Todo o mistério que envolve o povo celta e principalmente os druidas está no fato de não deixarem nada escrito. Utilizavam-se da oralidade para transmitir seus conhecimentos fundamentais. Não que desprezassem a forma manuscrita, muito pelo contrário, acreditavam que a palavra escrita possuía poder. O alfabeto utilizado por eles foi o alfabeto Ogham — a Sabedoria das árvores, mas usavam-no apenas para adivinhações.

Um fato interessante que envolve essa aura de mistério desse povo é que a sabedoria dos druidas influenciaram outros povos e isso colaborou com o mistério e a especulação em torno das cerimonias religiosas.

A vestimenta deles eram túnicas brancas. Mas os rituais eram realizados despidos de qualquer acessório, ou seja, nu em pelo. Os templos não eram de tijolos, como conhecemos os nossos hoje (independente da sua crença). Os campos e as florestas de carvalho serviam para as cerimonias religiosas.

Um exemplo é a construção megalítica — as ruínas de Stonehenge. Eles utilizavam desses círculos de pedra, também denominados de círculos mágicos, para canalizarem as energias telúricas. Conhecedores dessa fonte de energia sutil realizavam rituais de manifestações de grandes poderes.

O ensinamento druídico: como essa energia era canalizada e utilizada. Dependia da intenção de cada um. Havia aqueles que utilizavam de maneira positiva — para o bem e outros negativamente. Como em tudo até hoje, onde há o bem existe o mal corresponde... ou seria o contrário?

E assim foram considerados feiticeiros. As lendas nos diziam ainda que conseguiam controlar o clima, provocar manifestações telúricas e siderais, assim como chover ou cessar a chuva. Enfim, podiam influenciar todos os fenômenos naturais e climatológicos. Para isso, utilizavam-se do uso de cristais e do poder da mente. Ai... quero aprender, pensou que bacana!

Temos outras civilizações que realizavam os mesmos métodos que os celtas-druidas, os Egípcios com as pirâmides e os Maias com os obeliscos.

E qual seria a intenção deles? Apenas estabelecer um elo sagrado que ligasse o homem a natureza, criando um espaço para invocar a Deidade na realização de cerimonias. Assim esse elo entre a Deusa e seus filhos era intensificado!

É isso, espero que tenham gostado. Se gostou comenta e diga sua opinião!



Links:












Olá, seja bem-vindo! Muito Obrigada pela visita e por ler e comentar os posts. Assim, para uma melhor interação lembre-se que todos os Direitos são reservados. Nenhuma parte desta obra pode ser copiada ou reproduzida total ou parcialmente sem a prévia autorização da Autora. Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.